terça-feira, 16 de novembro de 2010

Desequilíbrio emocional pode influenciar na queda de cabelo

Hormônios e má alimentação também podem ser os causadores da calvície

queda de cabelos em homens e mulheres é uma queixa cada vez mais comum atualmente, já que o número de pessoas mais preocupadas com a aparência de ambos os sexos vem aumentando. Diversos trabalhos e estudos foram realizados para avaliar o quanto esta interferência é significativa na vida das pessoas.

Uma pesquisa apresentada no Encontro da Academia Americana de Dermatologia em 2010 nos Estados Unidos mostrou que para as mulheres, por exemplo, a queda de cabelo causa um grau de sofrimento tão intenso quanto a perda de um ente querido Ou seja, é muito importante para o médico saber lidar com as queixas emocionais dos pacientes que sofrem com essa mal tão comum. 
Existem várias possíveis explicações, argumentos e justificativas para justificar este problema. O fato é que interfere significativamente na qualidade de vida das pessoas, com diminuição de auto-estima e alteração da auto-imagem. São várias as causas para a queda de cabelo, uma delas, a mais temida, é a calvície ou alopecia androgenética. A calvície normalmente vem de um histórico familiar, que pode ser decorrente tanto da parte materna, quanto paterna, diferente do que se achava antigamente, quando o problema era associado apenas a parte da mãe. 
O equilíbrio emocional interno é fator essencial para a prevenção da queda de cabelo
Neste caso, a idade de início pode predizer o prognóstico, isto é, quando mais precoce for o começo da queda de cabelos, mais difícil será o tratamento, e por conseqüência, pior o prognóstico.

Já a alopecia androgenética, a queda não é tão acentuada, porém os fios sofrem a chamada miniaturização, que faz com que os fios nasçam cada vez mais finos, reduzindo significativamente o volume dos cabelos. Neste caso, quanto antes o tratamento for iniciado, melhor. Além disso, o paciente deve ter muita paciência, pois os fios demoram a responder ao tratamento e a volta do volume do cabelo pode ser lenta. 
Alterações hormonais como tireóide, ciclo menstrual (ovários policísticos) e alterações do metabolismo na produção de glicemia e insulina também podem contribuir para a queda de cabelo. Além destas causas, uma das mais importantes é o desequilíbrio.

O equilíbrio interno é fator essencial para a prevenção da queda de cabelo. Uma boa alimentação, com quantidades adequadas de frutas, legumes, verduras, proteínas e alimentos anti-oxidantes auxiliam a melhora da queda e estimulam o nascimento de fios resistentes.  
O desequilíbrio emocional ou estresse gera um desequilíbrio hormonal que resulta em inflamação, o que favorece a queda dos fios. Por este motivo, o tratamento de queda de cabelos não é tão simples como parece. Ele envolve uma vasta investigação clínica, dermatológica e laboratorial, uma correta interpretação dos exames e sintomas e um tratamento longo e cuidadoso. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário